Aluno conquista bolsa de Intercâmbio no Egito

O aluno Igor Rocha, 15 anos, que está na 1ª série do Ensino Médio, conquistou uma Bolsa de Estudos que o levou para um Intercâmbio, no Egito, nas férias de Julho. Ele participou de uma seletiva, na qual teve comprovar nível de Inglês intermediário e um excelente desempenho nas disciplinas de Ciências, Química, Física e Matemática. Igor contou que fez duas provas de conhecimento das disciplinas e duas entrevistas via Skype, em Inglês.

Nessa viagem, os estudantes selecionados ficaram em casas de famílias locais voluntárias e participaram de diversas atividades com o objetivo de conhecer a cultura egípcia, melhorar habilidades linguísticas e interculturais, inclusive com aulas do idioma árabe e visitas a locais históricos.

O Programa visa incentivar o desenvolvimento de conhecimento entre os estudantes, nas áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, representadas pela sigla STEM em inglês (science, technology, engineering, mathematics). A iniciativa é voltada para essas áreas e suas aplicações integradas ao desenvolvimento de competências globais, como habilidade linguística, adaptabilidade, resolução de problemas, colaboração e habilidade para construir pontes entre diferentes culturas.

Diálogos na Parque – Gávea

A primeira edição do Diálogos na Parque contou com a presença da comunidade escolar, de representantes das comunidade do entorno e convidados. O tema foi “Que Gávea é essa? As muitas Gáveas da Gávea”, e esse encontro foi ministrado pelo jornalista Marcelo Lins. Fizeram parte da mesa de debate o Coordenador do Museu Sankofa da Rocinha, Antônio Firmino, o professor e pesquisador do Departamento de Geografia da PUC-Rio, Marcelo Motta, e a diretora do Observatório de Favelas, Isabela Souza.

Além do debate, foi realizada também uma Oficina de Grafite organizada pelo coletivo Morro pela Arte. Os participantes da Oficina produziram dois painéis, tendo como base o mesmo tema do evento, que estão expostos no quioscão da unidade 355, na Gávea.

O projeto surgiu de uma proposta de um grupo de pais da Escola Parque. Esses pais, alinhados aos valores da Escola, acreditam que é preciso reconstruir na base a cultura democrática da troca de ideias, fazendo dela uma razão para que Pais e Escola se reúnam, compartilhando espaços comuns. A proposta é partir sempre de temas do dia a dia, buscando trabalhar sua relação com questões mais abrangentes ou ideias mais abstratas, do micro para o macro, do nosso quintal para o mundo. É criar um espaço que não seja marcado pela polarização, mas por uma discussão saudável, criando pontes entre a comunidade e o asfalto, entre as organizações sociais, os coletivos, a universidade e a sociedade civil de modo mais amplo.

Escola Parque promove Cinema na Praça

Alunos da Escola Parque, Responsáveis e Convidados participaram do “Cinema na Praça”. A atividade, que teve início às 18h, aconteceu na última sexta-feira, 13 de setembro, na Praça Heitor Cajaty, próximo à unidade Barra Infantil. Foram exibidos filmes produzidos pelos alunos da Escola Parque e curtas-metragens premiados.

Esse evento faz parte de um Projeto da Escola que busca estimular a utilização dos espaços públicos de lazer. A atividade proporcionou ainda uma interação com os alunos da Escola Municipal Vice-Almirante Paulo de Castro Moreira da Silva e com a comunidade local.

11º Sarau Cultural da Escola Parque – Barra

Os alunos do Ensino Fundamental 2 e Ensino Médio, Barra, participaram do 11º Sarau Cultural da Escola Parque. O evento trouxe diversas expressões artístico-culturais e contou com a presença de familiares e convidados que assistiram às apresentações de bandas e de solos dos alunos. Com um repertório bem diversificado, os alunos cantaram sucessos internacionais e nacionais, e fizeram apresentações de dança.

Alunos da Escola Parque plantaram mudas na Praça Heitor Cajaty

Os alunos da turma 504 plantaram 15 mudas na Praça Heitor Cajaty, na Barra, próxima à sede da Educação Infantil. Foi colocada placa de identificação em cada muda, sinalizando a espécie. As placas foram confeccionadas por esses alunos, no espaço Maker da Escola Parque.

Essa atividade, que foi realizada em parceria com alunos da Escola Municipal Vice-Almirante Paulo de Castro Moreira da Silva, faz parte do Projeto Viver Bem da Escola Parque, que teve início no começo do ano. Além do plantio, os estudantes de ambas as escolas participaram de brincadeiras, contação de historias e de outras atividades na praça, uma forma de incentivar a ocupação do espaço público, os cuidados com o meio ambiente e promover novas amizades.

Projeto Matemática é Vida estimula interatividade, interdisciplinaridade e reflexão

O Projeto Matemática é Vida movimentou a manhã de sábado dos alunos do Ensino Fundamental 1, Barra e Gávea, e dos alunos do Ensino Fundamental 2, Barra, com diversas oficinas. Além das oficinas oferecidas no evento, durante uma semana, as turmas da Escola produzem, em sala de aula, diversas atividades voltadas para a Matemática, evidenciando os conteúdos. O Projeto Matemática é Vida tem como objetivo mostrar, para os alunos, que a Matemática está presente nas diferentes áreas do conhecimento, nas artes e no nosso dia a dia.

As oficinas do Ensino Fundamental 1, Gávea, foram direcionadas para alunos, responsáveis e convidados e monitoradas por alunos do 4º e 5º anos. A proposta era estimular, por meio de jogos e brincadeiras, o pensamento lógico, a execução de cálculos, a criação de gráficos, comparações de grandezas e a produção artística. No Espaço Maker, os alunos construíram mobília com material reciclado e, na Sala de Mídias, em um programa de computador, puderam projetar ambientes.

Já na Barra, a monitoria das oficinas foi feita pelos alunos do 5º ano e quem participou do evento pôde fazer compras, de maneira divertida, em um mercadinho e envolver-se em uma gincana sobre medidas e grandezas, além de outras atividades. No Espaço Maker, alunos e responsáveis montaram, ainda, uma catapulta, e os alunos participaram, em seguida, de uma disputa de lançamentos.

No Projeto Matemática é Vida do Ensino Fundamental 2, Barra, os alunos participaram de oficinas que mostraram a presença da Matemática nas obras de artistas, como Leonardo da Vince, Calder e Beatriz Milhazes e em outras áreas de conhecimento. Eles fizeram pipas, catapultas, origamis poéticos, lançaram foguetes e outras atividades práticas propostas pela Escola. Houve ainda a entrega das medalhas de premiação da Olimpíada Canguru de Matemática para os alunos de destaque.

Barra

Gávea